Dicas de Monografia

Este blogger foi publicado pelos alunos: Edivane, Gilmar, Fernando, Luana e Watila.

Saturday, November 12, 2005

MONOGRAFIA SEM SEGREDO:

Mais algumas dicas importantes para vocês estudantes:
Escolha um tema de pesquisa dentro da disciplina que mais lhe interessa durante
o curso e que atenda às suas inclinações pessoais, pois você terá de debruçar-se sobre ele durante um bom tempo. Apresente a seu professor-orientador uma lista com algumas opções de temas- nunca peça a ele essas indicações.Lembre-se que o assunto não precisa ser original, mas é bom trazer novidades no enfoque e contribuições à área do conhecimento à qual pertence.

Participe de debates, simpósios, seminários e outros eventos internos dentro de
sua faculdade e de fora também durante o curso de graduação ou especialização. Eles vão ampliar seus conhecimentos, suas oportunidades de estudos e suas habilidades de observar e analisar.Quem está na vida acadêmica e pretende discutir teorias e práticas, em qualquer área, deve deixar de lado o senso comum e o "achismo".

Levante com seu orientador uma bibliografia básica para começar a pesquisa.Leia
livros, artigos, revistas, jornais, ou outro tipo de publicação dedicados ao assunto escolhido.

Dê um foco preciso para o seu trabalho.Evite dispersar o tema com diversos
assuntos interessantes.

Leia e escreva regularmente, pois só se produz bons textos com base em boas
leituras e em muita prática de escrita.

Para saber mais consulte:
Bibliografia
Como elaborar Projetos de pesquisa, Antônio Carlos Gil, 176 pág., ed. Atlas.
Como escrever uma Monografia, Délcio Vieira Salomon, 412 pág.ed. Martins Fontes.
Internet:
Veja no site da ABNT www.abnt.org.br
www.cesuc.br clicar em Núcleos e NAC Manual de Orientação para Monografia e curso de Metodologia Cientifica.

Que negócio é esse de monografia? Me explica?


NORMAS TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA
PAGINAÇÃO
1- As páginas que antecedem a introdução não são enumeradas porém, são contadas.
2- A numeração é contínua todavia, só aparece na segunda folha da introdução.
3- As folhas são numeradas colocando-se o número da página à direita, no canto superior.
4- Para os trabalhos deve-se fazer uso de papel branco A 4.
DIGITAÇÃO/ESPACEJAMENTO
1- As páginas da abertura dos capítulos, devem ter 8 cm em cada borda superior e as demais 3 cm da borda superior.
2- Margem inferior a 2,0 cm da borda inferior da folha.
3- Margem esquerda a 3 cm da borda esquerda da folha.
4- Margem direita a 2,0 cm da borda direita.
5- Parágrafo a 5,5 cm da borda esquerda.
6- Na digitação espaço duplo de entrelinhas. e fonte arial 12
7- As citações longas, as referências e os resumos em vernáculo e em língua estrangeira devem ser digitados em espaços simples.
8- Fazer recuo de 4 cm para citações longas (aquelas com mais de 3 linhas).
9- Cada capítulo começar em uma página, prova mesmo havendo espaço na última página (fazer quebra de página).
10- Os títulos dos capítulos serão digitados em caixa alta, grifados a 8 cm da borda superior da folha (no início da folha ou centralizado.
11- Registrar notas de referências no rodapé das páginas, sem espaço entre elas e com fonte menor.
12- quando uma sigla aparecer pela primeira vez no texto, a forma completa do nome precede a sigla queserá colocada entre parênteses.

Tuesday, November 01, 2005

Quais elementos compõem a monografia?

A monografia a formada pelos elementos pré-textuais: capa, folha de rosto, folha de aprovação, dedicatória, agradecimento, eígrafe, resumo, abstract, lista de ilustração, lista de tabelas, lista de abraeviação e lista de símbolos; elementos textuais: introdução, desenvolvimento, conclusão, referências; e pós-textuais: glossário, apêndece e anexos.
Nas próximas postagens colocaremos mais alguns comentários a respeito do assunto.

Saturday, October 15, 2005

Não sabe nem como começar uma monografia? Aqui é o lugar certo!!

Dicas de como desenvolver Monografias – Dissertações:

A ciência é uma das formas de se ter acesso ao conhecimento, e a sua atividade básica é a pesquisa. Ela busca oferecer explicações acerca de um fenômeno, mas não é dogma; logo é discutível.
A ciência é um processo permanente de busca da verdade, de sinalização sistemática de erros e correções, predominantemente racional.
Qualquer pesquisa para ser desenvolvida necessita de um projeto, e bem elaborado, que a oriente. Ele pode não garantir o sucesso da investigação, mas sua inadequação, ou sua ausência, certamente, garantem o insucesso.

1- O Projeto

O projeto deve definir com clareza o problema motivador da investigação, o referencial teórico que a suportará e a metodologia a ser empregada. Também não pode deixar de apresentar o cronograma da pesquisa, bem como a bibliografia.

2- O Problema ou Hipóteses

Hipóteses, ou suposições, são a antecipação da resposta ao problema.
Se este é formulado sob a forma de pergunta, a hipótese, ou a suposição o são sob a forma de afirmação. A investigação é realizada de modo que se possa confirmar ou, ao contrário, refutar a hipótese, ou a suposição.
Geralmente, o termo hipótese está associado às investigações mais na linha positivista ou neopositivista onde, implica testagem, quase sempre de relações, via procedimentos estatísticos. Há dois tipos de testagem, quase sempre de relações, via procedimentos estatísticos. Há dois tipos de hipótese: constitutiva e operacional. Uma hipótese constitutiva define palavras com outras palavras, como nos dicionários. A operacional especifica operações necessárias para medir ou manipular um conceito (ou constructo).

3- Referencial Teórico

Uma revisão da literatura existente, no que concerne não só ao acervo de teorias e a suas críticas, como também a trabalhos realizados que as tomam como referência. Assim, o autor do projeto e o leitor tomam conhecimento do que já existe sobre o assunto, ou seja, sobre o estado da arte, oferecendo contextualização e consistência a investigação.

4- Metodologia

Basicamente a pesquisa pode ser exploratória ou descritiva.
A investigação exploratória é realizada em área na qual há pouco conhecimento acumulado e sistematizado. Por sua natureza de sondagem, não comporta hipóteses que, todavia, poderão surgir durante ou ao final da pesquisa.
A pesquisa descritiva expõe características de determinada população ou de determinado fenômeno. Pode também estabelecer correlações entre variáveis e definir sua natureza. Não tem compromisso de explicar os fenômenos que descreve, embora sirva de base pata tal explicação.

5- Relatório Final

Aqui concentra-se a monografia propriamente dita, é um relato do que desencadeou a pesquisa, da forma pela qual Lea foi realizada, dos resultados obtidos, das conclusões a que se chegou e das recomendações que o pesquisador faz a outros.

5.1- Introdução
Aqui inicia-se o relatório, é uma seção na qual se aguça a curiosidade do leitor, na qual se tenta “vender-lhe” o projeto. Basicamente a introdução deve ser curta, proporcional ao número de páginas da monografia. É adequado terminar com a formulação do problema, sob a forma de pergunta.

5.2- O desenvolvimento da monografia é o que sucede à introdução e antecede à conclusão. É composto de vários capítulos, cada um dos quais começando em uma nova página e devendo ser subdividido em seções. A seção se for o caso, também pode ser subdividida, apresentando seções secundárias.

5.3- Conclusões
Há duas partes muito importantes no trabalho: a definição do problema sob a investigação e a resposta que oferecemos ao leitor. Esta é a conclusão.
Só se pode concluir sobre aquilo que se discutiu, logo, tudo o que você apresentar na conclusão deverá ter sido anteriormente discutido. Para dar início às conclusões, resgate a pergunta-problema que desencadeou o estudo e faça um brevíssimo resumo do que foi apresentado e discutido nos capítulos anteriores, apenas para refrescar a lembrança do leitor.

Sunday, October 09, 2005

DICAS DE MONOGRAFIA

A Monografia consiste em um trabalho de graduação, a ser elaborado, individualmente pelo estudante, sob a orientação de um professor e submetido a aprovação de uma comissão de professores designados pelo colegiado competente. Característica principal: tema único. É uma opção didática que permite ao discente aprender pesquisando. Qualquer assunto pode ser pesquisado, desde que: a blibliografia seja bem pesquisada; o objeto de estudo bem delimitado e o tema dentro da área de graduação.